Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘concerto’

A programação de novembro da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) será encerrada com um Concerto Acadêmico sob a regência do maestro venezuelano Eduardo Salazar, no próximo dia 24, quarta-feira, na Sala Principal do Teatro Castro Alves, às 20 horas. Os ingressos (inteira) custam R$ 10,00.

O mesmo programa será apresentado na Vesperal Gratuita, no dia 23, terça, às 16 horas, também na Sala Principal do TCA.
Desta vez, o repertório da OSBA será inteiramente dedicado ao compositor alemão Ludwig Van Beethoven (1770-1827), com três peças do grande mestre da música que viveu a transição do período Clássico para o Romântico: “Egmont”: Abertura; Concerto nº 3 para piano e orquestra em Dó menor, op.37, tendo como solista o pianista baiano Ricardo Castro, e a Sinfonia nº 5 em Dó menor, op.67.

Anúncios

Read Full Post »

A Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) é atração da Sala Principal do Teatro Castro Alves, com mais um Concerto Acadêmico, sob a regência do maestro Eduardo Torres, no próximo dia 20 de outubro, quarta-feira, às 20 horas. O solista convidado é o músico norte-americano Richard Young (viola). Participações especiais do pianista Ricardo Castro e da harpista Mariana Tudor. No programa, um repertório vigoroso e diversificado, com destaque para a música do Brasil e da Argentina, além dos compositores europeus: “Alvorada”, da ópera O Escravo (Lo Schiavo), de A. Carlos Gomes (1836-1896); “Dança Brasileira”, de M. Camargo Guarnieri (1907-1993); “Estancia: Quatro Danças”, op.8, de Alberto Ginastera (1916-1983); “Danças Eslavas”, op.46, nº. 08 em Sol menor, de Antonin Dvorák (1841-1904); “Etudes on Simple Tones” (Concerto para viola nº. 2), de Alexander Tchaikovsky (1946), e Danças Polovetsianas (da ópera O Príncipe Igor), de Alexander Borodin (1833-1887). Os ingressos custam R$ 10, (inteira) e R$ 5, (meia). Esse mesmo programa será apresentado na Vesperal Gratuita, no dia 19, terça, às 16 horas, também na Sala Principal do TCA.

Lançada este ano, a Série Concertos Acadêmicos conta com a participação de músicos do Neojibá (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia), e tem como objetivo capacitar os jovens talentos em repertório orquestral e, ao mesmo tempo, desenvolver as capacidades pedagógicas dos experientes músicos da Sinfônica. A orquestra é mantida pela Secretaria de Cultura do Estado, através da Fundação Cultural e TCA.

Richard Young (solista) – Aos treze anos de idade, o violista norte-americano foi convidado para apresentar-se para a Rainha Elisabeth da Bélgica no Royal Palace em Bruxelas. Desde então, tem sido convidado como solista por várias orquestras e tem dado recitais de música de câmara nas Américas do Norte e Sul, Europa, Leste Europeu, África e Austrália. Desde 1985 é violista do renomado Vermeer String Quartet, dos EUA.  Young tem se apresentado em prestigiados festivais ao redor do mundo, e já recebeu três indicações ao Grammy. Foi produtor do CD do Vermeer Quartet com a obra de Haydn “As sete últimas palavras de Cristo”. Seu mais recente CD – com Alex Klein e Ricardo Castro – inclui peças para viola, oboé e piano de compositores como Loeffler, Klughardt, Hindemith, White, e Yano. É também autor do best-seller “Echoes from Calvary: Meditations on Franz Joseph Haydn’s “The Seven Last Words of Christ”, publicado pela Rowman & Littlefield. O músico está envolvido com projetos como o YOURS Orchestra e o Neojibá, ambos baseados na experiência venezuelana do “El Sistema”.

Programa

Danças Eslavas – Op.46; n.8,em Sol menor “Fúria” – Antonin Dvorak

As Danças Eslavas (dois ciclos de oito danças cada, Op.46 e Op.72) tornaram-se as composições mais populares do compositor tcheco, tendo sido, ao mesmo tempo, as primeiras que lhe abriram caminho para a fama mundial. Concebidas inicialmente para piano a quatro mãos, foram orquestradas, pelo autor, pouco depois, resultando em um sucesso ainda maior. O primeiro ciclo, composto a pedido do editor Simrock, foi publicado em 1878 e deveria ter seguido o modelo das danças húngaras de Brahms, que foi quem apresentou Dvorák ao editor. Mas se o alemão, nas suas danças, serviu-se de melodias húngaras, Dvorák acabou inventando ele mesmo as melodias.

Alvorada, da ópera “Lo Schiavo” (“O Escravo”) – Antonio Carlos Gomes – Chamada pelo compositor brasileiro de “Prelúdio orquestral” e conhecida por todos como “Alvorada de Lo Schiavo”,esta peça mostra um compositor extremamente inspirado, dominando à perfeição os três elementos essenciais na música: melodia, ritmo e harmonia.Toda a peça se desenvolve através de um estupendo jogo de claro/escuro, com variações de dinâmica e exposição de elementos descritivos. Foi dito que através de mais de um século a “Alvorada” tem sido “um poderoso tônico para o orgulho nacional”.

Estancia: Quatro Danças  – Alberto Ginastera  – Em 1941 foi pedido ao compositor argentino que escrevesse um ballet em um ato e cinco cenas descrevendo a vida pastoral de seu país. O autor escreveu a partitura baseada no grande poema épico Martin Fierro, de J.Hernandez que conta a história do “Gaúcho” (o cowboy argentino). As quatro danças intitulam-se Los Trabajadores Agrícolas, Danza Del Trigo, Los Peones De Hacienda e Danza Final (Malambo.

Serviço

O quê: Orquestra Sinfônica da Bahia – Série Concertos Acadêmicos

Regente: Eduardo Torres

Solistas: Richard Young (viola), Mariana Tudor (harpa), Ricardo Castro (piano)

Onde: Sala Principal do Teatro Castro Alves

Quando: 19 de outubro, terça-feira, às 16 horas – vesperal gratuita

20 de outubro, quarta-feira, às 20 horas – Concerto oficial.

Ingressos (inteira): R$ 10,00

OBS: Para informações mais completas, acesse o link: http://www.tca.ba.gov.br/10/1010/Osba_ConcertoAcademico.htm

Read Full Post »

Foto: Divulgação

Fany Solter, pianista baiana radicada na Europa, onde desenvolve uma carreira de grande prestígio, é a convidada da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba). O encontro acontece no próximo concerto pela Série Quintas Sinfônicas, no dia 23 de setembro, na Sala Principal do Teatro Castro Alves, às 20 horas. O regente convidado é o renomado maestro inglês Kevin Griffths.
Nesta apresentação, Fany Solter será a solista do Concerto nº2, em Si Maior, Op.19 para piano e orquestra, do compositor alemão Ludwig Van Beethoven. O programa da noite terá ainda peças de dois grandes compositores norte-americanos: Adágio para cordas, Op.11, de Samuel Barber, e West Side Story, Danças Sinfônica, de Leonard Bernstein. Os ingressos custam R$ 10, (inteira) e R$ 5, (meia). A Osba é mantida pela Secretaria de Cultura do Estado, através da Fundação Cultural  e TCA, e tem como gestor artístico o pianista baiano Ricardo Castro.

Fany Solter, nascida em Ilhéus, Bahia, é artista de prestígio internacional, condecorada pelo governo brasileiro com a Medalha Villa-Lobos pelos grandes serviços prestados à nossa música na Europa. E recebeu do governo alemão a “Gran Cruz do Mérito”, a mais alta condecoração daquele país.  Fany Solter fez seus primeiros estudos no Conservatório de Música do Rio de Janeiro e nos Seminários da Pró-Arte. Aperfeiçoou-se na Alemanha, diplomando-se pela Escola Superior de Música de Freiburg. Foi premiada em concursos de Munique (Alemanha) e Vercelli (Itália).

Nascido em Londres, Inglaterra, Kevin Griffiths é maestro principal e diretor artístico do The London Steve Reich Ensemble, que atua internacionalmente e ganhou o Diapason d’Or pela sua primeira gravação de CD. Já trabalhou com várias orquestras, entre elas a Orquestra Tonhalle de Zurique, a Orquestra Sinfônica de Lucerna, a Basel Symphony Orchestra, a Orquestra de Câmara de Zurique, a Musikkollegium Winterthur, Orquestra Sinfônica do Estado de Brandemburgo, Orquesta Sinfónica de Navarra, Istanbul State Symphony Orchestra,  e Austrian Arpeggione Chamber Orchestra. De 2007 até 2009, Kevin Griffiths foi bolsista no curso de regência na Royal Northern College of Music. Durante este período, conduziu produções de ópera, que incluem o projeto duplo de Ravel “espagnol L’heure” e “L’enfant et les sortilégios” e “Die Fledermaus” de Johann Strauss. Tem sido apontado como o “Melgaard Young Conductor” com a Orchestra of the Age of Enlightenment, em Londres. Nos últimos dois anos, freqüenta regularmente a França, onde realizou os concertos de abertura do Musique Cordiale Festival e uma produção da ópera de Purcell “Dido e Enéas”.

SERVIÇO: 

O quê: Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) / Série Quintas Sinfônicas
Regente: Kevin Griffiths
Solista: Fany Solter
Onde: Sala Principal do Teatro Castro Alves
Quando: 23 de setembro, quinta-feira, às 20 horas.
Ingressos (inteira):    R$ 10,00

Read Full Post »

A Caixa Econômica Federal apresenta ao público baiano o concerto “Cores e Timbres em Trios  para flauta, violoncelo e piano”, que acontece no período de 10 e 11 de setembro, no salão nobre da CAIXA Cultural Salvador, sempre às 20 horas. Uma sessão extra já foi confirmada para o dia 11 (sábado) às 18h. O projeto que foi aprovado pelo edital de ocupação de pauta da CAIXA Cultural para 2010 traz os músicos Norton Morozowicz, flauta, Maria Alice Brandão, violoncelo e  Glacy Antunes de Oliveira, piano. O acesso ao evento é feito mediante a troca de 1 quilo de alimento não perecível, no período das 14 às 19 horas dos dias de espetáculo. A faixa etária indicativa é a partir de 10 anos.

O concerto apresenta obras significativas de compositores de períodos distintos da História da Música, dentre eles Haydn, Weber e Martinu, escritas para uma formação camerística pouco explorada, rica em timbres, cores e nuances. O concerto é uma rara oportunidade para os aficionados por música de câmara, em razão da execução de obras de importância, as quais, por sua formação e dificuldade, são raramente tocadas.

Menos ouvidos do que as formações tradicionais de trios de cordas com piano ou aqueles da família das madeiras – flauta, clarineta e fagote, os trios para flauta, violoncelo e piano significam um desafio composicional resultante em obras interessantíssimas, de rara beleza e sonoridade ímpar. Para este concerto na CAIXA Cultural em Salvador foram escolhidos trios caracterizados por vibrante riqueza de texturas, escritos por três compositores de períodos distintos da História da Música, a saber:

HAYDN, o grande responsável pela criação e consolidação da música de câmara clássica, que gira em torno do quarteto de cordas e da forma-sonata, no Trio nº. 30 em Ré maior  –  Hob. XV –  nº 16, demonstra sua maestria quanto ao desenvolvimento temático com raro efeito brilhante e timbrístico.

WEBER, que escreveu pouco para música de câmara, neste Trio em sol menor Op.63, estruturado em forma clássica estendida, mostra toda sua genialidade para produzir cor, atmosfera e timbre em estilo um tanto operístico, característico do romantismo.

MARTINU, cujo estilo tipicamente camerístico vivo e colorido compôs em seus escritos datados de 1944, para para flauta, violoncelo e piano, demonstra toda a complexidade e sofisticação musical do compositor tcheco, uma exploração maravilhosa de cores, plena de contemporaneidade.

SERVIÇO:
Datas: 10, 11 e 12 de setembro de 2010 / sexta, sábado e domingo
Horário de início: pontualmente, 20 horas
Local: Salão Nobre da CAIXA Cultural Salvador/BA
Endereço: Rua Carlos Gomes, 57, Centro – Salvador/BA
Entrada: os ingressos serão trocados por um quilo de alimento não perecível, na bilheteria, a partir das 14 horas até meia hora antes do início dos concertos
Capacidade: 80 lugares
Classificação etária: maiores de 10 anos
Conveniência: estacionamento gratuito ao lado da CAIXA Cultural Salvador

Read Full Post »

Uma boa opção para o público, no feriado da Independência, é conferir a apresentação da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) pela Série Concertos Acadêmicos, no dia 7 de setembro, terça-feira, na Sala Principal do Teatro Castro Alves, às 20 horas, sob a regência do maestro convidado Domingo Hindoyan, da Venezuela, e com a participação do pianista baiano Ricardo Castro, gestor artístico da Osba. Os ingressos (inteira) custam R$ 10,00. Antecedendo ao concerto, haverá uma vesperal gratuita no dia 6, segunda-feira, às 16 horas, também na Sala Principal do TCA.
O programa desta edição inclui o “Adagietto”, da Sinfonia nº 5 em Dó Menor, de Gustav Mahler; “El Amor Brujo” – Ballet Suíte, do compositor espanhol Manuel de Falla, e o Concerto no 2 em Fá Menor, Op. 21 para piano e orquestra, de Frederic Chopin, com solo de Ricardo Castro (somente no dia 6). Já no dia 7, a Osba apresentará também a Sinfonia no 7 em Lá Maior, Op.92, de Ludwig Van Beethoven.
Lançada este ano, a Série Concertos Acadêmicos conta com a participação de músicos do Neojibá (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia), e tem como objetivo capacitar os jovens talentos em repertório orquestral e, ao mesmo tempo, desenvolver as capacidades pedagógicas dos experientes músicos da Sinfônica. A orquestra é mantida pela Secretaria de Cultura do Estado, através da Fundação Cultural e TCA.
SERVIÇO:
O quê: Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) – Série Concertos Acadêmicos
Regente: Domingo Hindoyan (Venezuela)
Solista: Ricardo Castro (piano)
Onde: Sala Principal do Teatro Castro Alves
Quando:6 de setembro, segunda-feira, vesperal gratuita, às 16 horas
7 de setembro, terça-feira, às 20 horas – Concerto
Ingressos (inteira):R$ 10,00

Read Full Post »

Depois de contagiar plateias dos principais centros culturais do Brasil e da Europa, os músicos do Neojibá (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) voltam a se apresentar em Salvador. Neste 1° de setembro os instrumentistas da Orquestra Juvenil 2 de Julho (J2J), da Orquestra Castro Alves (OCA) e dos grupos de percussão e de metais se reúnem no palco do Teatro Castro Alves para seu primeiro concerto após a turnê na Europa e no Sudeste brasileiro.
Intitulado Solistas Neojibá, o concerto traz – pela primeira vez em suas apresentações regulares – os próprios músicos do Neojibá como solistas do concerto: o fagotista Abner da Silva Pinto, de 16 anos, e o clarinetista Adauri de Oliveira, 23. Os músicos têm se destacado desde a fundação do Neojibá: Abner aprendeu a tocar fagote em poucos meses executando aos 14 anos o solo do Pássaro de Fogo de Stravinsky em 2008. O macaubense Adauri foi aplaudido de pé pelas plateias na turnê da Europa e sudeste brasileiro, ao interpretar o solo inicial de Rhapsody in Blue, de Gershwin, de maneira impecável. Hoje eles se juntam para ficar à frente da J2J com o Concerto em Si bemol para clarineta, fagote e orquestra, de Carl Stamitz.
Outra ação inédita será a participação especial de alunos do projeto de coral desenvolvido no Colégio ICEIA, se apresentando com a OCA.
SERVIÇO:
O quê: Concerto Solistas Neojibá
Quando: 1° de setembro, às 20h.
Entrada: R$ 4,00 e R$ 2,00
Onde: Teatro Castro Alves

Read Full Post »

O próximo Concerto Acadêmico da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) terá como atração especial a violinista romena naturalizada norte-americana Miriam Fried, uma grande virtuose da sua geração, com uma carreira artística aclamada em toda a Europa, Estados Unidos, Israel, Japão e outros países. O concerto, com a regência do maestro e violista americano Paul Biss, será no dia 18 de agosto, quarta-feira, na Sala Principal do Teatro Castro Alves, às 20 horas. O valor do ingresso (inteira) é R$ 10. Antecedendo ao concerto, haverá uma vesperal com entrada franca, no dia 17, terça-feira, às16 horas.

A Osba reservou para o público um programa único, nas duas apresentações: Abertura Mestres Cantores, de Richard Wagner (1813-1883); Concerto para violino e orquestra em Ré maior, op.35, de P.I. Tchaikovsky (1840-1893), tendo como solista Miriam Fried, e O Pássaro de Fogo: Suíte (versão 1919), de Igor Stravinsky (1882-1971).

A Série Concertos Acadêmicos, lançada este ano, conta com a participação de músicos do Neojibá (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia), e tem como objetivo capacitar os jovens talentos em repertório orquestral e, ao mesmo tempo, desenvolver as capacidades pedagógicas dos experientes músicos da Osba.

Read Full Post »

Older Posts »