Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Cultura’

Depois dos bem-sucedidos pré-lançamento e lançamento da HQ “Lucas da Vila de Sant’Anna da Feira” a cidade de Feira de Santana terá triplo lançamento de quadrinhos. Isso acontece no final de semana dos dias 23 e 24 de outubro, durante o Feira Noise Festival, a ser realizado no Centro de Cultura Amélio Amorim. Além das três revistas lançadas – que estarão à venda durante todo o evento – também é possível se inscrever nas oficinas gratuitas de HQs oferecidas pelo Coletivo de Quadrinhistas Baianos Área 71.

Todas as atividades são patrocinadas pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), Governo do Estado e apoios financeiros da RV Cultura e Arte – Galeria e Quadrinhos e Acarajé da Dindá.

Oficinas de Roteiro e Desenho ministradas por membros do coletivo de quadrinistas baianos da Área 71

Oficina de Roteiro para Histórias em Quadrinhos
Ministrantes: Marcelo Lima (Lucas da Vila de Sant’Anna da Feira e Kuei e a Senhora de Sárvar) e Valter Bruno Felipe (Romero e Área 71)
Objetivos: Aula teórico-prática em que os alunos aprenderão os princípios da escrita do roteiro pra HQs e elaborarão um roteiro de 03 páginas como exercício da oficina. As melhores histórias podem ser selecionadas para o número #2 da Revista Área 71.

Quanto: Gratuito
Vagas: 20
Carga Horária: 4 horas
Local: Sala 01 no CCAAm
Quando: 23 de outubro, às 08 horas

Oficina de Desenho para Histórias em Quadrinhos
Ministrantes: Fabrício Campos (Área 71) e Joel Santos (Kuei e a Senhora de Sárvar)
Ementa: Aula prática em que os alunos aprenderão os princípios da narrativa das HQs e técnicas de ilustração. Os alunos que se destacarem poderão ser convidados a colaborar no próximo número da Revista Área 71.

Quanto: Gratuito
Vagas: 20
Carga Horária: 4 horas
Local: Sala 03 no CCAAm
Quando: 23 de outubro, às 14 horas

Lançamentos de Revistas em Quadrinhos

* Revista Área 71

O que é: Coletânea de HQs curtas feitas por autores baianos, que abrangem diferentes gêneros como humor, aventura, ficção científica e terror. Os diversos autores que participaram dessa HQ têm experiências variadas no mercado de quadrinhos, ilustração e roteiro, havendo desde experientes artistas como Cedraz (Turma do Xaxado), Hector Salas (da tira O Inferno São os Outros) e Marcos Franco Penitência e Lucas da Vila de Sant’Anna da Feira) a novatos como Fabrício Campos, Rodrigo Vinicius e Ulisses Almeida. Além disso, a revista conta com artigo do jornalista baiano Gutemberg Cruz, terceira capa de Iaina Estrela e pôster feito por Wilson Jr. Tudo em 48 páginas, formato americano (17X26cm), capa colorida, miolo em P&B com 4 páginas internas coloridas e ao valor de R$3,50!
Quando: 09:00 – 24 de outubro (domingo)

* Kuei e a Senhora de Sárvar


O que é: Numa Terra devastada por misteriosos eventos a humanidade se tornou avessa à tecnologia e dominada por criaturas sobrenaturais. É neste mundo que o vampiro Kuei, natural de outra dimensão, vem pesquisar as histórias de outros de sua espécie, que praticamente entrou em extinção. Contando com suas habilidades para lidar com magia e armas, Kuei redescobre histórias sobre vampiros famosos que andaram sobre nosso planeta. No entanto, sua missão de recuperar dados da cultura vampírica será dificultada por diversos antagonistas, dentre eles o vampiro mais antigo e poderoso que percorreu a Terra. HQ escrita por Marcelo Lima e desenhada por Joel Santos. 48 páginas, capa colorida, miolo em P&B, formato A5 (14,8X21cm), por R$3,50
Quando: 09:00 – 24 de outubro (domingo)

* Lucas da Vila de Sant’Anna da Feira – mesa redonda e re-lançamento da HQ

Mesa Redonda: Lucas da Feira: patrimônio ou vergonha para a história feirense?, com o professor universitário Clovis Ramaiana, vereador Marialvo Barreto, o roteirista Marcos Franco e o escritor Antonio do Lajedinho
Lucas da Vila de Sant’Anna da Feira

O que é: Quem foi Lucas da Feira? Até hoje não existem dados precisos que detalhem quem foi o negro que se rebelou contra a sociedade escravocrata em que viveu. Sabe-se que atuou nos arredores da atual cidade de Feira de Santana, nos começos do século XIX, atacando tropeiros que iam ou vinham da Feira do Gado. Alguns dizem que fazia isso para depois repartir com outros negros e pobres, outros afirmam que nunca passou de um psicopata desumano. Longe de responder a essas questões, a obra Lucas da Vila de Sant’Anna da Feira busca dialogar com diversas fontes, oficiais ou não, para mostrar uma história possível da personagem, suas motivações e assim reapresentar esse mito histórico brasileiro para os leitores do século XXI. 48 páginas, formato 21X28cm, terceira capa de Adauto Silva, glossário e estudos de personagens. R$10,00
Quando: 24/out, a partir das 14 horas

Anúncios

Read Full Post »

Read Full Post »

O Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural (Pós-Crítica), do Campus II da UNEB, em Alagoinhas, realiza o Fórum Nacional de Crítica Cultural 2 . O evento, que nesta edição aborda o tema Educação básica e cultura: diagnósticos, proposições e novos agenciamentos, acontece entre os dias 18 e 21 de novembro.

Os interessados em apresentar trabalhos devem realizar inscrições on-line, até o dia 15 de outubro, obedecendo as normas e orientações gerais de participação, que estão disponíveis no site do fórum. Para aqueles que vão participar como ouvintes, as inscrições podem ser feitas até o primeiro dia do evento. A taxa varia de R$ 10 (ouvintes) a R$ 80 (apresentação de trabalhos).

O fórum pretende mapear e descrever a relação entre educação básica e cultura. A expectativa da organização é de reunir mais de dois mil participantes, entre docentes, discentes e pesquisadores de todo o país.

Mais informações no site www.uneb.br

Serviço:

O que: Fórum Nacional de Crítica Cultural
Quando: de 18 a 21 de novembro
Onde: em Alagoinhas
Quanto: R$ 10 (ouvintes) e R$ 80 (apresentação de trabalhos)

Read Full Post »

O Vão Livre do Teatro Castro Alves receberá no dia 17 de outubro (domingo), das 12h às 18h, a “Feira de Livros Vão das Letras”, um projeto do Núcleo do Livro, Leitura e Literatura da Fundação Pedro Calmon/Secult, em parceria com a Câmara Bahiana do Livro (CBaL) e o Teatro Castro Alves. O evento contará com um acervo variado de livros, tanto de literatura como científicos e infanto-juvenis. Durante a Feira, a Biblioteca de Extensão estará presente com livros, jornais e revistas à disposição dos leitores.
 
Segundo a coordenadora do NLLL, Lúcia Carneiro, esta edição do Vão das Letras trará novidades, tais como a presença de dois Sebos, que comercializarão seus livros a preços especiais; venda de artesanato, estande para trocas de livros e BookCrossing.  “No BookCrossing  as pessoas deixam livros em locais públicos, para que outros possam encontrar, ler e depois deixar o livro livre,  assim o maior número de leitores terão acesso ao conhecimento. Levaremos  esta prática para a Feira”.  A coordenadora também destaca a troca de livros. “Quem tem livro em casa e deseja trocar por outro terá uma boa oportunidade para fazer escambo, prática rara nos dias atuais”.
 
Programação – Às 12h30, Conversas em Vão – recital livre de poesia.  Poetas de diversos grupos literários de Salvador poderão declamar seus versos e mostrar seus trabalhos aos leitores interessados. Às 15h, o escritor Lima Trindade participará da Conversa com o escritor, um bate-papo descontraído que terá a mediação dos escritores Mayrant Gallo e Dênisson Padilha Filho.
 
Lima Trindade é Mestre em Letras pela UFBA e tem publicados os livros Supermercado da solidão (novela), Todo o Sol mais o Espírito Santo (contos) e Corações blues e serpentinas (contos). É também editor do site cultural Verbo 21, de Salvador, no ar desde 1997.
 
Às 17h,  será a vez do grupo de RAP Opanijé, que possui um estilo próprio de Hip Hop, com letras que exaltam a cultura negra e a ancestralidade africana. A banda une o que há de mais contemporâneo nas tendências musicais como: samplers, efeitos e batidas eletrônicas, ao que temos de mais tradicional na cultura afro-baiana, como o uso de berimbaus, instrumentos percussivos e cânticos de Candomblé, transformando fé, aprendizado, amizade e consciência em música.
 
Livros – A Feira reunirá editoras e livrarias para a comercialização de obras a preços reduzidos, artistas da cena literária e musical baiana. Na Feira de Livros, o público, formado por pessoas de todas as idades, encontrarão obras de diversos gêneros literários, entre infanto-juvenis, romances e clássicos da literatura, em estandes das Livrarias Galeria do Livro, RV Quadrinhos, Livraria LDM e Mídia.  E das Editoras Mídia Louca, Grupo Editorial Record, Edufba e dos Sebos Cantinho da Pituba e Sebo da Praia.
 
 
Serviço:
 
O que: Feira de Livro Vão das Letras 
Onde: No Vão Livre do Teatro Castro Alves – Campo Grande
Quando: Dia 17 de outubro (domingo), das 12h às 18h 
Quanto: Grátis 
Contato: (71) 3116-6677

Read Full Post »

A Companhia de Teatro Nata, que está em cartaz em Salvador com a peça “Ogum, Deus e Homem”, promove o “II IPADÊ, Fórum Nata de Africanidade”, no próximo dia 1º de outubro, sexta-feira, no Teatro Martim Gonçalves (Escola de Teatro da UFBA), no Canela. O evento, com entrada gratuita, está voltado para o debate de temas que colaborem na divulgação do Candomblé e das comunidades de Terreiro, combatendo a intolerância religiosa e todo tipo de racismo.
Como parte da programação, haverá duas mesas-redondas: A primeira, às 14 horas, vai reunir a yalorixá Jaciara Ribeiro, do terreiro Axé Abassá de Ogum, do bairro de Itapuã; Sueli Carneiro e Vilma Reis, do CEAFRO – UFBA; Luiza Bairros (secretária de Promoção da Igualdade do Estado da Bahia/Sepromi) e Zebrinha, ator, dançarino, estudioso da mitologia afro e coreógrafo da peça “Ogum”.

A segunda mesa – redonda, com início às 16 horas, reunirá a equipe artística, técnica e de produção do espetáculo “Ogum, Deus e Homem”, que permanece em cartaz somente até domingo, 3 de outubro, no Teatro Martim Gonçalves, às 20 horas (ingressos gratuitos retirados até uma hora antes do início). O debate, em torno do processo de criação e da proposta do espetáculo, terá a participação da diretora Fernanda Júlia, os atores Val Perré e Jussara Mathias, entre outros.
A peça é uma realização da Cia de Teatro Nata, fundada por Fernanda Júlia, em 1998, na cidade baiana de Alagoinhas.

INTOLERÂNCIA E DIÁLOGO – O terreiro Axé Abassá de Ogum ficou conhecido por ter sido cenário de uma demonstração de intolerância religiosa em Salvador. Em 1999, o Jornal Folha Universal publicou fotos de Mãe Gilda, responsável pelo terreiro na época, com textos depreciativos, acusando-a de charlatanismo. Após publicação, a yalorixá veio a falecer em decorrência de problemas emocionais causados pela repercussão negativa da notícia. Já em 2006, o Terreiro recebeu a certificação como Patrimônio Afro-Brasileiro pelo Ministério da Cultura, através da Fundação Cultural-Palmares. O documento reconhece a importância do Terreiro do bairro de Itapuã na preservação da cultura e religiosidade de matriz africana.
Por sua vez, O CEAFRO é um programa de educação e profissionalização para a igualdade racial e de gênero do CEAO, Centro de Estudos Afro-Orientais da UFBA, cujo compromisso é estabelecer o diálogo entre a universidade, a escola pública e as organizações do Movimento Negro na Bahia, tais como blocos afros, comunidades de Terreiro, grupos de Mulheres Negras, Movimento Hip Hop e comunidades quilombolas.
Prêmio nacional – “Ogum, Deus e Homem” ” tem o patrocínio da Petrobras e Ministério da Cultura, além de apoio institucional da Fundação Cultural do Estado da Bahia. É produzida por Kalik Produções Artísticas. Este foi o espetáculo escolhido por Fernanda Júlia (“Shirê Obá”), como sua montagem de conclusão no curso de Direção Teatral pela Escola de Teatro da UFBA, com texto escrito por ela e Fernando Santana. Foi a única montagem teatral do Nordeste contemplada no I Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-brasileiras, promovido pela Fundação Palmares e o Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves.

Serviço:

O Quê: II IPADÊ – Fórum Nata de Africanidade
promovido pela Cia de Teatro Nata, de Alagoinhas.
Lançamento do filme OGUM.DOC , de Thiago Gomes
Onde: Teatro Martim Gonçalves (Escola de Teatro da UFBA), no Canela
Quando: 1º de outubro, sexta-feira, às 14 horas
Acesso: Entrada franca

Read Full Post »

A Orquestra Afro sinfônica tem um perfil que se aproxima tanto do erudito, devido à sua formação, quanto ao popular, devido aos arranjos das peças compostas pelo maestro Ubiratan Marques. Em todas as vezes em que a Orquestra se apresentou, houve uma identificação muito grande do público, que sempre manifestou, através de muitos aplausos, a referência afro-brasileira presente tanto em um quanto no outro. A partir dessa dupla empatia, nasceu a ideia de levar a Afro Sinfônica mais perto do público geral, sem delimitar nem estilizar o gosto popular. O Projeto Ô de Casa tem como objetivo gerar apresentações de concerto da Afro sinfônica em comunidades que, dificilmente, tem acesso à formatos de Orquestras e música de Concerto, da mesma forma que os moradores não tem acesso à locais que oferecem este tipo de música. A primeira etapa e inauguração do projeto serão em 04 comunidades de Salvador: no Engenho Velho de Brotas (Centro Cultural Solar Boa Vista) dia 24/09 às 20h, Centro Cultural da Plataforma dia 28/09 às 15h, no Bairro da Paz (Centro comunitário) dia 02/10 às 15h e encerramento na Praça Tereza Batista (Pelourinho) dia 11/10 às 19h.

Resumo da Orquestra Afro Sinfônica:

Em 2000, a partir de um Concerto com a Jazz Sinfônica na cidade de São Paulo, o maestro baiano Ubiratan Marques, então regente da orquestra, percebeu que, ultimamente a maioria das orquestras continuavam a seguir o mesmo padrão europeu em formação e repertório. A partir daí pensou em criar algo genuinamente brasileiro, baiano, fazendo uma fusão entre o Jazz e os conceitos europeus e americanos sinfônico, porém, buscando a personalidade regional, promovendo novas tendências e novos repertórios. Permanecendo com a mesma estrutura de uma orquestra tradicional, com todos os seus nipes de cordas, madeiras, metais e percussão, mas incorporando alguns instrumentos regionais, como xequerês e tambores. O principal está, certamente, no resultado musical, unindo o peso e as nuances sinfônicas à personalidade particular dos arranjos africanos. Com a formação de um centro de estudos de música criado por ele, em 2007, o Núcleo Moderno de Música ficou mais viável desenvolver a sua idéia da Orquestra, pois poderia incluir seus alunos, professores e músicos interessados. Dessa maneira, estabeleceu-se, em meados de 2008, a Orquestra Afro Sinfônica. Em 10 de Dezembro de 2009 fez a sua estréia no Teatro Sesc no Pelourinho, sendo ovacionados por 5 minutos de aplausos pelo público. Em Fevereiro se apresentou no Teatro Castro Alves, participando do DVD do cantor e compositor Gerônimo e mais uma vez foram aplaudidos de pé por 1.500 pessoas que lotavam o teatro. Em mais um trabalho do documentarista brasileiro, atualmente residente em Angola, Sergio Guerra, a Orquestra gravou a trilha sonora, que, posteriormente, deverá ser lançada como CD. Foi convidada por Mateus Aleluia, para participar de seu show, desta vez durante a abertura do III Afro Film Festival, em Cachoeira, no dia 14 de Maio. Em 18 de Julho, mais uma vez no Teatro Castro Alves, participou da gravação do DVD de Mateus Aleluia.

Maestro Ubiratan Marques:

Pianista, compositor, arranjador, produtor musical, regente e fundador da Orquestra Afro sinfônica. Natural de Salvador, Bahia. Iniciou seus estudos autodidáticos em 1983. Ingressou em 1986 na Universidade Federal da Bahia, onde estudou composição com Ernest Widmer, Lindenberg Cardoso e Agnaldo Ribeiro, em 1994 na Universidade Livre de Música Tom Jobim, onde estudou com Roberto Faria, Cyro Pereira e H. J. Kollreutter. Em 1998 ingressou nos estudos de filosofia, onde desenvolve diversos projetos integrados a música. Trabalhou com, Gilberto Gil, Luiz Melodia, Roberto Sion, Luís Avelima, Netinho, Toni Garrido, Chico César, Tito Bahiense, Ed Motta, Luciana Mello, Wilson Simoninha, Cláudio Zoli, Banda Reflexus etc. Fez os arranjos dos discos Kabiesselá e Maria Dapaz Indicados ao Grammy Latino.  Em 2004 foi convidado pelo maestro João Maurício Galindo, para participar do projeto Compositores Brasileiros ao lado de Ernani Aguiar. Fundou junto ao projeto guri a Orquestra Zumbi dos Palmares, trabalho sinfônico voltado à cultura negra, onde foi regente e dirigiu por dois anos crianças e adolescentes entre oito e dezoito anos, e em 2006 escreveu a suite afro terra da vida interpretada pela jazz Sinfônica. Foi professor do centro de estudos Musicais Tom Jobim 10 anos, atualmente é o produtor musical do Doctv Ibero América, fez as trilhas dos filmes Terras de Preto de Marcelo Brito, e Você já foi a Bahia nega, de Paulo Alcoforado. Trabalha como arranjador da Jazz Sinfônica, Orquestra Tom Jobim, e junto com Sizo Machado, Nen, Beto Angerosa e Bruno Oliveira forma o polêmico grupo instrumental Terreiro de Jesus. Com um estilo autêntico, trazendo muita personalidade, Bira Marques vem sido requisitado para projetos artísticos de diversas linguagens, buscando com isso colaborar no enriquecimento da arte.

Contato:

http://www.myspace.com/orquestraafrosinfonica

http://www.orquestraafrosinfonica.blogspot.com

http://www.myspace.com/biramarques

Youtube – orquestra afro sinfonica

salamandraproducoes@gmail.com

Read Full Post »

O movimento cultural ABRACADABRA – Agentes Brasileiros de Cultura e Arte Democrática Brasileira – orquestrará nos dias 17 e 18 de setembro o maior evento pluricultural (com todas as linguagens artísticas e expressões culturais atuantes no município) do Sertão Produtivo. O ABRACADABRA 2010 será realizado na Praça Coronel Zeca leite (Praça da Prefeitura) de Brumado, das 17:00 às 23:00h.

Este ano, além das atrações pertencentes ao projeto, o público presenciará uma expressão rara de se ver: a Chula do Pilão – dança feita por moradores da zona rural de Brumado.

SOBRE O ABRACADABRA
Os Agentes Brasileiros de Cultura e Arte Democrática Brasileira – ABRACADABRA – é um Movimento Cultural sem fins lucrativos, sem vínculos com partidos políticos e autogestionário – os próprios artistas da região formam um conselho e gerenciam o Movimento. O ABRACADABRA está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, formando uma rede solidária cultural que resgata a arte brasileira e estimula os artistas e fomentadores culturais.

Na Bahia, grupos estão se formando simultaneamente na Região Metropolitana de Salvador e na Região Sudoeste (Sertão Produtivo) para a formação desta rede solidária da cultura e que tem como foco de divulgação do Projeto o evento anual.

SOBRE O EVENTO
No ano passado – 14 de março – houve o Lançamento do ABRACADABRA em Brumado, também na Praça Coronel Zeca Leite. Contou apenas com o patrocínio do comércio local. O público presente pôde assistir shows musicais, dança, recital de poesia, teatro, artes plásticas, artesanato, capoeira, folclore, exposições de livros e cordel.
O ABRACADABRA 2010 é o segundo evento de porte realizado pelo Movimento. Contou – através de edital público (Microprojetos para o semi-árido) – com o patrocínio do governo estadual, governo federal, Banco do Nordeste, Instituto Nordeste Cidadania, Funarte e Funceb.
Serviço:
O que:
Evento pluricultural ABRACADABRA 2010
Quando: 17 e 18 de setembro de 2010
Onde: Praça Coronel Zeca Leite, em Brumado-BA
Quanto: Entrada franca (praça pública)
Mais informações: www.cultura.acontecebahia.com.br  –  acontecebahia@acontecebahia.com.br

Atrações:
Chula do Pilão
Apresentações musicais (diversos estilos)
Exposições de Artesanato
Exposições de Artes plásticas,
Exposições de Literatura (Lançamentos de livros)
Exposições de Fotografia
Recital de poesias (Grupo Castro Alves – ALAB)
Terno-de-Reis
Teatro
Contadores de História (Grupo Castro Alves – ALAB)
Maculelê
Puxada de Rede
Samba de Roda
Grande Roda de Capoeira
Dança

Read Full Post »

« Newer Posts - Older Posts »